IRPF 2019: cuidado com os erros de última hora

O fim do prazo para a transmissão do IRPF 2019 se aproxima. E, com o relógio apertando, muita gente acaba preenchendo a declaração correndo ou sem prestar a devida atenção necessária, o que pode trazer futuros problemas para o contribuinte.

Para se ter ideia, em 2018, 628 mil declarações do Imposto de Renda ficaram retidas na malha fina devido a inconsistências nas informações prestadas. O número corresponde a 2% das declarações apresentadas no ano.

De acordo com a Receita Federal, as principais razões pelas quais as declarações ficaram retidas são: omissão de rendimentos do titular ou dependentes; divergências entre o IRPF informado na declaração e o informado pelas empresas na Declaração do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (DIRF); informações incorretas sobre despesas médicas; dedução de previdência oficial ou privada, dependentes, e pensão alimentícia.

Vale ressaltar que, embora pareça uma declaração simples, o preenchimento do IRPF deve ser feito com bastante cautela e atenção. Hoje, a Receita Federal possui uma das inteligências fiscais mais modernas do mundo, cruzando inúmeros dados e informações. Assim, cada valor ou dado transmitido é confrontado.

Erros comuns no IRPF 2019

Ainda vai declarar o Imposto de Renda 2019? Confira alguns dos principais descuidos que levam o contribuinte à malha fina e fuja dos riscos.

– Erro nos dados informados, principalmente os referentes ao informe de rendimentos; qualquer diferença de centavos é motivo de malha fina;

– Atenção: só devem ser declaradas despesas que podem ser comprovadas;

– Quem possui mais de uma fonte pagadora deve informar todos os valores recebidos, sejam eles pagamentos por serviços, pró-labore, salários ou alugueis;

– Informar uma pessoa como dependente quando ela já está com esse status em outra declaração de Imposto de Renda, assim como não lançar os rendimentos desses dependentes;

– Declarar despesas médicas com valores diferentes dos recibos;

– Informar despesas que não são dedutíveis, como academia, cursos pré-vestibular, remédios, cirurgias estéticas, entre outros;

– Não listar todas as instituições financeiras onde tenha conta bancária ou vínculo;

– Não listar todos os bens ou doações;

– Evolução patrimonial não compatível com a renda declarada;

– Omissão de rendimentos isentos e não tributáveis;

– Operar ações e não informar lucros ou prejuízos;

– Não lançar pensão alimentícia como rendimento;

– Se você trabalhou em mais de uma empresa em 2018, deve declarar o salário de ambas no IRPF 2019. O Fisco recebe as informações das duas instituições, e não informar o recebimento pode ser interpretado como sonegação.

– Antes, informar o CPF dos dependentes era obrigatório apenas para maiores de 12 anos. Agora, no IRPF 2019, a informação é obrigatória, independente da idade do dependente.

– Moedas eletrônicas, como o Bitcoin, são consideradas bens; assim, os contribuintes que possuem  moeda eletrônica precisam informar o valor de aquisição na declaração de bens no IRPF 2019.

Tem alguma quanto à declaração do IRPF 2019? Fuja de riscos. A PartWork oferece serviço completo para a declaração do Imposto de Renda. Fale com os nossos especialistas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.